As fantásticas aranhas-pescadoras do Cerrado e onde habitam

As aranhas são invertebrados que pertencem ao Filo Arthropoda, o mesmo dos insetos e crustáceos. São animais muito diversos, possuindo mais de 6.000 espécies viventes só no cerrado. Além disso, as aranhas habitam uma enorme variedade de ambientes, sendo encontradas no solo, na vegetação, nas árvores e corpos d’água.

As nascentes, os rios, córregos e até mesmo as cachoeiras são de grande importância ecológica, pois exibem uma enorme diversidade de vida, seja ela vegetal ou animal. Os corpos d’água abrigam diversas espécies de anfíbios, peixes e invertebrados aquáticos, os quais servem de alimento para algumas espécies de aranhas.

As aranhas-pescadoras são animais de hábitos semi-aquáticos, podendo ser diurnas, noturnas ou ter os dois hábitos. Dentre as espécies de aranhas que habitam esses ambientes, estão as aranhas-pescadoras de duas principais famílias: Pisauridae e Trechaleidae. Além delas, existem outras famílias como Lycosidae (aranhas-lobo), Ctenidae (aranhas-errantes), Corinnidae (aranhas-corredeiras) e muitas outras. Todas são inofensivas para o ser humano e seus animais de estimação, apresentando risco apenas para suas presas.

Como essas aranhas caçam? As Pisauridae ficam paradas em cima da água esperando por uma presa em potencial. Quando a presa é avistada, a aranha prende-a com as pernas enquanto injeta sua peçonha. E como elas não afundam quando estão em cima da água? Bem, elas utilizam a tensão superficial da água a seu favor, diminuindo a área de contato com a água. Assim, elas ficam mais leves e não afundam.


Foto: Thaumasia sp. (Pisauridae) em uma nascente.


As Trechaleidae ou aranhas-da-cachoeira são mais comuns de serem vistas em rochas e plantas próximas a córregos, açudes, cachoeiras dentre outros corpos d’água. Seu corpo levemente achatado e suas pernas laterígradas (voltadas para os lados) permitem que elas se movimentem rapidamente. Seu método de caçar é igual ao das Pisauridae. Nessa família está a maior aranha do Brasil, em largura. A Trechalea bucculenta pode medir até 20 cm com as pernas esticadas. Mesmo com esse tamanho todo, ela não oferece risco para humanos.


Foto: Trechalea sp. (Trechaleidae) próxima a uma cachoeira.


Vale ressaltar que não são todas as espécies de Pisauridae e Trechaleidae que pescam ou são relacionadas a esses ambientes úmidos. Abaixo, é possível ver alguns exemplos dessas aranhas. O gênero Syntrechalea (foto 1) não é associado a corpos d’água. Caçam pequenos artrópodes em árvores. Já alguns juvenis de Pisauridae (foto 2) vivem na vegetação, tecendo um abrigo de seda.



E então, você já viu algumas dessas aranhas? É preciso salientar que quanto mais preservado e limpo o ambiente, mais facilmente esses animais podem viver e cumprir as suas funções ecológicas. Então, sempre lembrem-se de cuidar dos corpos d’água do Cerrado.


Redação:


Júlio Campos e Silva, graduado em Ciências Biológicas pelo Centro Universitário do Distrito Federal (UDF) e divulgador científico na página "Aracno Cerrado".


Referências:


MOTTA, Paulo César. Aracnídeos do cerrado. TB, Technical Books Editora, 2014.

1.279 visualizações4 comentários

Posts recentes

Ver tudo